Post Image

Temos percebido um movimento considerável no governo, no sentido de viabilizar a agenda da digitalização dos serviços oferecidos para a população. A Secretaria de Governo Digital, vinculada ao Ministério da Educação prevê que até 2020, 80% dos serviços oferecidos serão digitalizados.

Desde 2016, o governo estabeleceu o desenvolvimento da estratégia digital, culminando no lançamento do portal gov.br em 2020. Em 2019, mais de 400 serviços foram digitalizados, representando R$ 350 milhões em economia para o país em mais de 24 entidades.

Durante pandemia do coronavírus, esta agenda tem sido fundamental para a continuidade dos serviços públicos prestados e, de certa forma, a crise contribuiu para alavancar e acelerar a implantação das iniciativas envolvendo o governo digital.

E por que esta pauta têm sido cada vez mais importante?

Primeiramente, há uma mudança comportamental geral, populacional e individual, na utilização de tecnologias que trazem facilidades no cumprimento de tarefas diárias, seja para o trabalho ou para o lazer. Além disso, o uso de tecnologias proporciona mais eficiência para os processos, em empresas e governos, a partir da automatização de serviços, geração de informações estratégicas para a tomada de decisão e otimização de recursos.

Outra questão bastante relevante é que a tecnologia propicia um ambiente de inovações fundamental para o aumento da produtividade em todos os setores do país. Especificamente, para o governo, as chamadas GovTechs prometem ser a resposta para entregar as soluções de que o governo precisa para diminuir ineficiências, alavancar resultados e melhorar o panorama tecnológico e estratégico para a gestão pública.

O Brasil ocupa a 64ª posição no index de desenvolvimento digital governamental, alinhado aos demais países da América Latina. Porém, um estudo da McKinsey de 2020, Brazil 2020 Opportunity Tree, reforça o papel cada vez mais preponderante das GovTechs no Brasil, apontando suas principais áreas atuação, sendo elas: Transparência, Estatística e Data Analysis, Comunicação, Transporte e Eficiência, indicando uma tendência importante para o desenvolvimento do país.

O Google no Brasil, pela 1ª vez na história, selecionou uma startup GovTech para participar de seu programa de aceleração de 2020, reconhecendo a necessidade do desenvolvimento de soluções tecnológicas para a gestão pública.

Sem dúvidas, a esfera pública municipal acaba sendo mais carente destes recursos tecnológicos, já que muitas vezes não consegue atender todas as suas demandas com os recursos disponíveis. Estas startups GovTechs tem conseguido entregar soluções pontuais para municípios menores com custos mais acessíveis.

A pandemia tem transformado empresas e pessoas, forçando barreiras e quebrando diversos paradigmas, inclusive entre os gestores públicos, que muitas vezes se sentiam receosos na implantação de novas soluções tecnológicas. As empresas que conseguirem se adaptar a este novo ambiente de incertezas, identificando as novas necessidades do governo e se antecipando às tendências tecnológicas futuras, conseguirão não somente resistir a este momento de crise, mas também propiciar um novo ambiente de desenvolvimento para o nosso país, deixando um legado de inovações e produtividade.